Ensinar é um ato de amor! Paulo Freire

Ensinar é um ato de amor! Paulo Freire

terça-feira, 18 de maio de 2010

A formação contínua é muito importante


O professor que está em constante formação é capaz de contribuir no desenvolvimento de sua clientela, pois está atualizado e consegue acompanhar as mudanças na educação e conseqüentemente é capaz de tornar a aprendizagem mais significativa.
Participei de uma capacitação do Programa Agrinho, que se baseia em uma metodologia de incentivo à pesquisa, à educação crítica, criativa, que desenvolva a autonomia e a capacidade de professores e alunos assumirem-se como pesquisadores e construtores de novos conhecimentos. Este programa foi criado com o objetivo de levar informações sobre questões ambientais, de segurança, ética e cidadania.
A educação crítica, reflexiva e criativa acontece a partir do momento em que o professor passa a ser agente desta transformação, reconhecendo o seu papel de mediador do conhecimento, como aquele que não sabe de tudo , mas que está disposto a ensinar e aprender ao mesmo tempo.
A pesquisa é um fator que provoca no aluno o desejo de buscar informações que possam satisfazê-lo.
Segundo o presidente do Sistema Faeg/Senar, "As crianças são a esperança do presente e nelas reside o futuro", se nelas reside o futuro, nós educadores podemos contribuir para um sociedade mais consciente de suas ações. um abraço,
Professora Sandra Cristina

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Temos que valorizar a habilidade de cada aluno.


Toda criança tem o direito ao ensino de qualidade.

Gostaria de partilhar a minha experiência de hoje, meus alunos assistiram ao filme da Disney "O CÃO E A RAPOSA", e puderam perceber que todos eles são bons em alguma coisa.

Nós professores devemos usar de metodologias utilizando a habilidade do aluno para ajudá-lo a apreender o que pra ele é difícil, assegurando-lhe uma aprendizagem significativa.

Quem já leu "UMA PROFESSORA MUITO MALUQUINHA " de Ziraldo entende do que estou falando; para ela todos são bons, não existe aluno que não saiba alguma coisa, no livro inventava-se até medalhas para quem cuspisse mais longe, entre outras, são estratégias inteligentes para poupar o aluno da inferioridade e ao mesmo tempo incentivá-lo a acreditar em suas potencialidades e que se é capaz.

Acredito no ensino construcionista e na contextualização e tenho procurado assegurar aos meus alunos que aprendam a fazer fazendo. A cada aula eles fazem uma nova descoberta.Isso é muito gratificante.

quarta-feira, 5 de maio de 2010

As serias do ensino eletrônico



Paulo Blikstein
Marcelo Knorich Zuffo

As tecnologias estão aí, para trazer novas mudanças no ensino e aprendizagem, elas devem ser utilizadas como matéria-prima para construir conhecimento, não apenas para transmitir informações.
As novas tecnologias são necessárias, por propiciar ao aluno condições de aprender a fazer fazendo, com projetos reais, tornando o aluno crítico e reflexivo ainda na primeira fase do ensino fundamental, diminuindo o risco de chegarem à faculdade ou ao mercado de trabalho despreparados.
Devemos construir nos alunos, conforme o texto “a possibilidade de atuar no mundo, empreender projetos, melhorar a vida das pessoas, imaginarem o que não existe subverter a ordem, construir, destruir e reconstruir”. “... a única educação que faz sentido é a que nos faz mudar o mundo.”

segunda-feira, 3 de maio de 2010

PARA QUE A ESCOLA DEIXE DE SER UMA INSTITUIÇÃO COM PADRÕES ANTIGOS E SE TORNE MAIS CONSTRUCIONISTA E ARTICULADORA, CABE A NÓS PROFESSORES A RESPONSABILIDADE DE ADERIR O NOVO, PENSANDO NO BENEFÍCIO QUE ISSO SERÁ COMO POR EXEMPLO; PARA O FUTURO CIDADÃO QUE SERÁ LANÇADO NO MERCADO DE TRABALHO.
TRABALHAR POR PROJETOS, INSERINDO AS NOVAS TECNOLOGIAS É GARANTIR QUE O ALUNO APRENDA A FAZER FAZENDO.
UM ABRAÇO, SANDRA CRISTINA.